Não é porque é feito na web que tem que ser feito de qualquer jeito.

17/08/2017

#Resenha: A Culpa é Das Estrelas

Hey pessoal. A Culpa é das Estrelas foi uma verdadeira febre não é mesmo? E eu como a maioria dos jovens também quis ler e saber os motivos por trás desse grande sucesso.




Hazel foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial, livro cujo autor deixou muitas perguntas sem resposta. Essa era sua rotina até ela conhecer Augustus Waters, um jovem de dezessete anos que perdeu uma perna devido a um osteosarcoma, em um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Como Hazel, Gus é inteligente, tem senso de humor e gosta de ironizar os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Com a ajuda de uma instituição que se dedica a realizar o último desejo de crianças doentes, eles embarcam para Amsterdã para procurar Peter Van Houten, o autor de Uma aflição imperial, em busca das respostas que desejam.

Hazel Grace estava prestes a completar dezessete anos, uma data que traria felicidade para muitos jovens, era o começo de uma vida adulta, porém para ela isso apenas significava uma coisa; estava viva, mas até quando?
Essa é uma pergunta que todos os seres vivos ao menos uma vez na vida se faz, porém, para Hazel era como um mantra, até quando estaria viva? A menina foi diagnosticada ainda quando pequena com câncer de tireoide, o que acabou afetando os seus pulmões e por essa razão sempre tinha que andar com um cilindro verde de oxigênio.
Segundo sua mãe Hazel estava se tornando depressiva por causa do câncer, mas não era verdade, estava depressiva porque sabia que iria morrer. Sua mãe é uma pessoa incrível, porém acabava às vezes vivendo tanto a vida de Hazel, que esquecia que também era mulher e esposa.


“Só tem uma coisa pior nesse mundo do que bater as botas aos dezesseis anos por causa do câncer; ter um filho que bate as botas por causa de um câncer (pág.15)”

Sua mãe resolve mandar sua filha depressiva para um grupo de apoio que tem na igreja, que é coordenado por Patrick. O grupo era muito deprimente, assim como as pessoas que participavam dele, porém naquele dia em que Hazel resolve voltar ao grupo, não encontrara apenas apoio, ela o encontrará.

“— Eu tenho medo de ser esquecido — disse ele de bate - pronto. — Tenho medo disso como um cego tem medo de escuro (pág.18)”

Augustus Waters é o tipo de garoto que não existem adjetivos o suficiente para falar dele, é gato, engraçado e tem um sorriso lindo, meio irônico e cafajeste, mas é apenas mais um charme dele. Gus como é chamado por seus pais, é melhor amigo do Isaac um garoto que tem um tipo de câncer não muito comum, ele teve câncer nos olhos e por essa razão teria que tirar seu único olho, já que quando ainda era pequeno teve que operar o outro. Gus também tem câncer.
Gus e Hazel se aproxima e logo se veem apaixonados pelo melhor livro sobre câncer que existe; uma aflição imperial, escrita pelo autor Peter Van Houten. Gus conhece o livro por causa da Hazel, e logo eles vão em busca para descobrir o fim daquele livro, já que nem sempre um ponto final significa o termino de algo, talvez fosse apenas o começo de um novo parágrafo. 

“Você coloca a coisa que mata entre os dentes, mas não dá a ela o poder de completar o serviço (pág.26)”

Nas minhas férias de junho fui para casa do meu pai e consegui ir ao cinema, o que me proporcionou a melhor hora que poderia assistindo o filme A culpa é das estrelas. Eu preferi assistir antes de ler, para que minha opinião sobre o filme não fosse influenciada.
Então depois de uns dias, enfim consegui ler o livro e depois de algumas pequenas horas finalizava a leitura. Devo dizer que por já ter assistido ao filme nada me surpreendeu no livro, mas isso não tirou toda a magia da leitura. A escrita do autor é muito boa, é leve e te faz ficar encantada. Os sentimentos, as emoções, tudo fez com que eu gostasse ainda mais do livro, os detalhes fazem as coisas parecerem mais reais e por mais que muitos venham a considerar essa história meio clichê ou modinha, está enganado. Não é clichê mostrar a realidade vivida, não é modinha porque faz sucesso, se fez sucesso é porque tem conteúdo e isso esse livro tem.
Os personagens são divertidos, e em alguns momentos os personagens nos faz refletir sobre diversas coisas, pelo menos eu consegui tirar esse proveito. John Green soube estrear muito bem, o livro é bom, mas eu senti que faltou algo, eu senti que faltou exatamente aquilo que foi colocado no filme; faltou a emoção do final.
O nome da capa é bem peculiar, e parece que assim como o Gus, John ama uma metáfora – ou seria o contrário? O livro tem uma capa original muito bonita, porém devo dizer que fiquei totalmente apaixonada pela capa do filme, o que é bem raro eu gostar de capas de filmes nos livros. A letra não é tão grande, porém é boa no tamanho.  
Esse é o segundo livro do autor a qual eu leio, e devo dizer que gostei bem mais do livro Quem é você Alasca?, porém todas as duas obras têm suas características e seus pros e contra. Se eu fosse você não ficava sem ler essa obra.

Beijocas, Tia Aylla. 

16/08/2017

Melhores livros de terror na minha estante



Olá, meus queridos maníacos e ai como estão?
Vamos falar sobre o que a gente mais gosta? Isso ai vamos falar dos livros que temos na estante que a gente ama?
Escolhi meu gênero preferido, embora eu tenha pouco deles os poucos que eu tenho eu os amos, vamos falar sobre os melhores livros de terror da minha estante.

It a coisa do Stephen King nosso querido rei do terror publicado em 1986. Conta à história de sete crianças, enfrentaram uma criatura centenária que se alimentava do medo e mudava de forma, ora chamada de It (Coisa), ora de Pennywise (o palhaço Parcimonioso) na cidade fictícia de Derry, no Maine, e 30 anos depois eles são chamados de volta para o confronto definitivo quando a criatura volta a matar crianças.

Quem sente sua presença é Michael Hanlon, um bibliotecário e único do grupo dos sete amigos que continuou morando em Derry. Assim ele liga para Richard Tozier (o brincalhão piadista), Eddie Kaspbrak (o fracote hipocondríaco), Stanley Uris (o escoteiro), Beverly Marsh Rogan (a garota do grupo), Ben Hanscom (um gordinho tímido) e Bill Denbrough (espécie de "lider" do grupo), pois todos os sete, quando jovens, viram "A Coisa" e juraram combatê-la caso surgisse outra vez. Porém este juramento pode custar suas vidas. Nesta obra Stephen King descreve claramente a personalidade e peculiaridades de cada uma das sete personagens principais, demonstrando sua ótima técnica de criação de descrição. - Uma curiosidade sobre mim, morro de medo de palhaços rsrs –

A estrada da noite de Joe Hill a historia e legal conta como um cara comprou um fantasma pela internet Judas Coyne uma lenda do rock  coleciona objetos macabros: um livro de receitas para canibais, uma confissão de uma bruxa de 300 anos atrás, um laço usado num enforcamento, uma fita com cenas reais de assassinato. Por isso, quando fica sabendo de um estranho leilão na internet, ele não pensa duas vezes antes de fazer uma oferta. Por 1.000 dólares, o roqueiro se torna o feliz proprietário do paletó de um morto, supostamente assombrado pelo espírito do antigo dono.

Sempre às voltas com seus próprios fantasmas - o pai violento, as mulheres que usou e descartou, os colegas de banda que traiu -, Jude não tem medo de encarar mais um. Mas tudo muda quando o paletó finalmente é entregue na sua casa, numa caixa preta em forma de coração. Desta vez, não se trata de uma curiosidade inofensiva nem de um fantasma imaginário. Sua presença é real e ameaçadora. O espírito parece estar em todos os lugares, à espreita, balançando na mão cadavérica uma lâmina reluzente - verdadeira sentença de morte. O roqueiro logo descobre que o fantasma não entrou na sua vida por acaso e só sairá dela depois de se vingar.
O morto é Craddock McDermott, o padrasto de uma fã que cometeu suicídio depois de ser abandonada por Jude.  Numa corrida desesperada para salvar sua vida, Jude faz as malas e cai na estrada com sua jovem namorada gótica. Durante a perseguição implacável do fantasma, o astro do rock é obrigado a enfrentar seu passado em busca de uma saída para o futuro. As verdadeiras motivações de vivos e mortos vão se revelando pouco a pouco em A estrada da noite - e nada é exatamente o que parece. Ancorando o sobrenatural na realidade psicológica de personagens complexos e verossímeis, Joe Hill consegue um feito raro: em seu romance de estréia, já é considerado um novo mestre do suspense e do terror.
                
Doutor Sono Stephen King – sim ele de novo porque eu o amoO e a continuação de  O iluminado', 30 anos depois King nos conta o que aconteceu com Danny Torrance, o garoto no centro de 'depois de sua terrível experiência no Overlook Hotel. Em Doutor Sono, temos a continuidade dessa história, contando a vida de Dan, agora um homem de meia-idade, e Abra Stone, uma menina de 12 anos com um grande poder. Assombrado pelos habitantes do Overlook Hotel, onde passou um ano terrível de sua infância, Dan ficou à deriva por décadas, desesperado para se livrar do legado de alcoolismo e violência do pai. Finalmente, ele se instala em uma cidade de New Hampshire, onde encontra abrigo em uma comunidade do Alcoólicos Anônimos que o apoia e um emprego em uma casa de repouso, onde seu poder remanescente da iluminação fornece o conforto final para aqueles que estão morrendo. Ajudado por um gato que prevê a morte dos pacientes, ele se torna o 'Doutor Sono'. Então Dan conhece Abra Stone, uma menina com um dom espetacular, a iluminação mais forte que já se viu. Ela desperta os demônios de seu passado e Dan se vê envolvido em uma batalha pela alma e sobrevivência dela. – estou lendo ainda, mas estou gostando e muito dele. –
                Esse eu ainda não li é uma trilogia ainda está na minha estante porque comprei ele há pouco tempo, eu detesto comprar livros que tenham continuações e espera uma eternidade pra ler o ultimo fora que pode ser que nem saia aqui como já me aconteceu em outro livro e não me conformo até hoje. Mas sim ele está entre um dos meus favoritos porque amei o enredo dele.


                Mr. Mercedes também do Stephen King - Ainda é madrugada e, em uma falida cidade do Meio - Oeste, centenas de pessoas fazem fila em uma feira de empregos, desesperadas para conseguir trabalho. De repente, um único carro surge, avançando para a multidão. O Mercedes atropela vários inocentes, antes de recuar e fazer outra investida. Oito pessoas são mortas e várias ficam feridas. O assassino escapa. Meses depois, o detetive Bill Hodges ainda é atormentado pelo fracasso na resolução do caso, e passa os dias em frente à TV, contemplando a ideia de se matar. Ao receber uma carta de alguém que se autodenomina o Assassino do Mercedes, Hodges desperta da aposentadoria deprimida, decidido a encontrar o culpado. Mr. Mercedes narra uma guerra entre o bem e o mal, e o mergulho de Stephen King na mente obsessiva e psicótica desse assassino é tão arrepiante quanto inesquecível. As continuações são Achados e perdidos e Último turno.

                Bem esses são os melhores livros de terror da minha estante e vocês tem algum livro de terror que adorem e que me indicam?



15/08/2017

#Resenha: A Aposta

Olá Amorecos. Tia Aylla na área com mais uma resenha, dessa vez trazendo sobre um livro que eu simplesmente fiquei viciada - e graças a isso viciei alguns amigos.



Uma viagem de formatura. Uma aposta perigosa. Lex, o galinha do colégio, terá apenas sete dias para derreter o congelado coração de Nina, a garota que odeia quem use cuecas. Nina enlouquece quando descobre sobre a grande aposta do ano. E agora ela quer sangue: o sangue de Lex. Em meio a chantagens, intrigas, vinganças, diálogos ácidos, aventuras, romance e momentos hilários, as páginas desse livro entrarão em combustão espontânea. Quem sairá vencedor? Façam suas apostas. O jogo de sedução está prestes a começar.

Aposta. Uma palavra pequena, mas com um poder de destruição incrível, afinal, tudo muda quando uma aposta está envolvida e muitas vezes cabeças podem rolar. 
O livro A Aposta, da Vanessa Bosso é uma das mais belas surpresas que já encontrei no mundo literário e os motivos são os mais diversos. A primeiro momento o que mais me chamou a atenção foi como que a história começa, algo único e que faz você sempre lembrar da obra por aquele detalhe.

“Via Láctea.
Sistema Solar.
Planeta Terra.
América do Sul.
Brasil.
São Paulo.
Zona Sul.
Colégio Prisma.
Segundo andar.
Estão me acompanhando? ”

Outra coisa foi que todo o livro é narrado por um personagem presente, isto é, quem narra a história opina sobre ela, dando a impressão de que durante todo o tempo alguém está conversando e contando tudo a você. E se você pensa que para por aí, está totalmente enganado, a autora conseguiu usar o título do capítulo como uma forma de nos apresentar cada personagem, e será usando o mesmo método da Vanessa, que apresentarei a vocês uns dos personagens mais apaixonantes que conheci.

“What? Vocês estão gritando aí?
Porque eu estou surtando por aqui. Essa sim é a Grande
Aposta do ano, folks!”

Quem é Nina Albuquerque?

Okay, está com certeza é uma pergunta bastante difícil de ser respondida, afinal, a menina é mais que um rosto bonito e Vanessa Bosso soube quebrar o estereótipo de que as personagens principais são sempre baixas, sendo assim, Nina com seus um metro e setenta e dois jamais passa despercebido – o que gera muita inveja nas kibis, mas depois falaremos delas – e levando em conta que foi expulsa do último colégio, ser aluna nova e deixar claro para quem quisesse ouvir que odeia todos os homens, ela logo virou a atração da escola – roubando assim os holofotes das kibis – e isso apenas significa uma coisa: Apostas.
Antes de falar mais alguma coisa, devo explicar que no colégio prisma tudo se resume em apenas uma coisa para os meninos: apostas e garotas. Já deu para perceber que isso não vai dar certo, não é mesmo? Principalmente quando decidem fazer uma aposta justamente com a única pessoa que seria capaz de revidar; Nina Albuquerque.

Quem esse tal de Lex Heinrich pensa que é?

Creio que Alexandre Heinrich, ou Lex, pensa que é simplesmente um deus grego, não que ele esteja totalmente errado, afinal, além de ser inteligente, perspicaz, inebriante, sedutor, misterioso, debochado e lindo, ele também é o maior galinha da escola, aquele tipo que te maltrata e ainda assim você o quer? Pois bem, ao que tudo indica Nina não pensa dessa forma e é a partir desse momento que começa A Grande Aposta, mas antes que eu coloque a carroça na frente dos burros, irei falar sobre as kibis.
As kibis é formada por três belas garotas – todas artificias demais – e que vocês podem conhecer como patricinhas/rainha/deusa do colégio. Essas meninas são Bárbara, Suzana e Ana Paula, sendo a primeira delas a líder e a grande manda chuva de tudo.
Bem, agora podemos falar sobre A Grande Aposta. Não é apenas uma aposta, mas sim várias que chegam em apenas uma. Será Lex capaz de fazer Nina se apaixonar por ele, em apenas sete dias? Na arte da sedução tudo é possível, mas realmente, será que Nina a indomável na arte do amor, se apaixonará pelo maior galinha de prisma? Ninguém acredita nisso, nem mesmo Nina e é aí que a guerra começa e que vença o melhor, ou quem tenha o coração mais mole.

“— Me conquiste, faça eu me apaixonar por você, Lex.
 Se conseguir essa proeza,
terá o dinheiro que precisa.”

Todos já entenderam que esse livro é maravilhoso, não é mesmo? Ainda não, pois bem, deixa eu falar o que senti ao ler. Esse livro me tirou todo o oxigênio, me deixando sem ar e então quando dei por mim, estava terminando de ler e aquilo doeu, afinal, não queria que terminasse, não podia terminar logo agora – ufa que tem continuação.

Esse livro se passa com alunos do último ano do ensino médio e talvez por eu também ser do terceiro e estar planejando a viagem de formatura, isso tenha ajudado na leitura, afinal, isso fez com que houvesse um ligamento ainda maior entre eu e os personagens, pois em vários momentos já passei por situações parecidas – infelizmente nenhum Lex a vista. Durante sete dias você e os personagens irão viver os momentos mais incríveis, se apaixonaram e sonharam com um Lex na vida, desejaram ter a força e a coragem da Nina e espero que quando fechar o livro, possa ter aprendido uma ou duas coisinhas, como o fato de que um dia todos iremos crescer, por isso, sempre devemos aproveitar o presente sem ficar paranoica com o futuro, afinal, um dia ele chegará e quando isso acontecer, basta apenas aproveitar. 

Beijocas, Tia Aylla.