Não é porque é feito na web que tem que ser feito de qualquer jeito.

27/06/2017

Sufocando Nas Minhas Lágrimas.

     
     

    Quarta-feira, 21/06/2017

     Sufocando nas minhas lágrimas daria um ótimo título de livro, daquele tipo comédia entre amigos, que faz você chorar de tanto rir. Só que nesse momento para mim é apenas como eu me sinto.
     Me sinto sufocada. Presa. Tento respirar, puxo o ar, mas ele não vem. É como se eu estivesse debaixo da água, é a mesma agonia de saber, que se começar a respirar, vou me afogar.
     Então, algumas vezes, não é sempre, que consigo respirar. É quando eu dou um passo, em direção ao infinito, então percebo que volto a ter ar, mas parece ser um ciclo sem fim e quando percebo novamente já estou sem ele.
  Durante a noite, rolo na cama tentando entender quando foi que da menina alegre que morava sozinha, se tornou na garota triste, que se sentia presa dentro de sua própria casa. Cada dia tem se tornando um desafio a percorrer. Oh, quando imaginei, que sair de casa seria tão difícil assim? Afinal, não era eu que dizia ter coração de pedra? Percebo agora que o exterior era feito de pedra, mas internamente era apenas uma manteiga derretida. 
     Existem dias que eu tento fugir, ando, corro e busco saídas para não me sentir tão só, mas nem sempre adianta, tem horas que sinto como se fosse eu contra o mundo e todo o mundo contra mim. Sabe aquela sensação de estar rodeado de pessoas  e ninguém te enxergar? Parece que ninguém vê o quanto você está sofrendo, ninguém te vê chorar e ninguém te pergunta como você está, talvez se alguém perguntasse, não me sentiria tão só.
      Tem dias que nem mesmo os livros, minha maior paixão, consegue tirar da solidão. Tem dias que penso se vale a pena continuar, se isso é o que preciso e qual é o preço que estou a pagar. Tem dias que quero sumir em minhas próprias lágrimas e há outros que me pergunto porque existo. Então acontece de vez em quando, tão raramente que nem consigo lembrar direito, que eu acordo feliz e aquela pressão, a falta de ar, por um pequeno tempo ela some e eu consigo ver aquela menina que eu era de seis meses atrás. 
      E é esses pequenos momentos, que me mostra que sou forte e que vou continuar, é apenas uma fase, estou aprendendo a crescer sozinha, com minhas próprias pernas e as lágrimas, elas são por enquanto minhas companheiras constantes, mas um dia, ainda chorarei rindo desses momentos e espero poder dizer que tudo valeu a pena. 


2 comentários:

  1. Todos temos momentos assim, em que nos sentimos para baixo, como se pudéssemos nos afogar. Mas calma, que somos mais fortes do que imaginamos e isso passa.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  2. A vida é feita de desafios, a cada dia temos a chance de mudarmos e sermos felizes! Tentar é o primeiro passo!
    Beijos

    ResponderExcluir