Não é porque é feito na web que tem que ser feito de qualquer jeito.

17/10/2017

#AyllaTodoDia - Mundo Castle



Olá maníacos. Tudo bom com vocês amadinhos? 
Dessa vez, estou saindo um pouco da minha área de conhecimento,isto é, pela primeira vez, estarei escrevendo uma resenha de série. Isso mesmo, também estou chocada galera. Eu nunca havia assistido uma série completa, jamais, e dessa vez consegui tal coisa. Bom, vamos para o que interessa, isto é, Castle <3



Conheça Richard Castle: ele é um bem sucedido escritor de histórias de investigação que acabou de matar o protagonista de seus livros. Mas parece que um fã gostou demais de seus livros, e começa a cometer assassinatos exatamente como aqueles que acontecem nos livros de Castle. Depois de ser interrogado pela polícia, Richard se junta a Detetive Kate Beckett para solucionar esse caso. Os dois se tornam parceiros e começam a investigar outros crimes cometidos em Nova York, ao lado dos experientes detetives Javier Esposito, Kevin Ryan e Capitão Roy Montgomery.  


Castle é uma série que  iniciou em 9 de março de 2009, contendo 8 temporadas, 173 episódios, cada qual com episódios de aproximadamente 43 minutos e logo se tornou uma febre, até que foi cancelada em 2016.

Quando você tenta acreditar que aquilo é só um sonho kkkk
Toda trama começa com Castle, que é um escritor de histórias policiais, um mulherengo apaixonado por duas coisas; mistério e mulheres. Castle é  o tipo de homem preso em um corpo adulto, mas com alma de uma criança. Sim, ele é bem infantil as vezes (quase sempre pra ser mais exata). Enfim, a vida de Castle dá uma reviravolta quando ele é  acusada de assassinato (sim, quem é o louco de o acusar  disso?).

Castle ou Rick como ele é regularmente chamado, escreve histórias policiais, no qual sempre existe assassinato, então, uma pessoa decidi usar o modelo de como ele mata seus personagens, para começar a matar na vida real. E é a partir desse momento que sua vida cruza com Kate Beckett (clichê, eu sei).

 

Katherine Beckett, ou Kate como é mais conhecida, é detetive no distrito 12° da cidade de Nova York. Sendo uma detetive dedicada e com um currículo exemplar, Kate tem um futuro brilhante, se ela conseguir sobreviver a conviver com Castle pelo tempo que durar o caso. Eu sei, vocês não entenderam né? Enfim, Castle acaba comprovando que é inocente (o que veio a chatear bastante Kate, que estava louca para o ver atrás das grades, sim, ela definitivamente não foi com a cara dele, não que ele ligue para isso) e graças a experiência dele com mistério e o fato de ser os livros dele que está ajudando um assassino, Rick acaba conseguindo ficar no caso e nos outros 173 casos aproximadamente que veio a ter (sim, ele é uma graça não é mesmo?). Algo notável sobre nossa querida detetive (sim, sou toda intimidade com ela, afinal,é uma amiga minha - em meus sonhos, obviamente), é que ao longo das 8° temporadas, podemos ver uma mudança em seu visual (uma verdadeira camaleão) e a cada episódio aparece mais linda do que nunca <3



Bem, é claro que Kate não trabalha sozinha e junto com ela temos nossos fieis escudeiros; Esposito e Ryan.

Javier Esposito é outro detetive do departamento de policia de Nova York. Sendo um solteiro convicto, e que ama as mulheres (lembrando um certo escritor metido a detetive), ele faz seu trabalho com amor e dedicação, estando sempre pronto para ajudar seu amigo e parceiro Kevin Ryan. Detetive Ryan é o oposto de Esposito, é completamente concentrado e sonha em se casar e ter filhos. Juntos, eles lutam para solucionar os casos, e dar uma resposta as famílias. Não podemos nos esquecer de Lanie Parish, que é  a médica legista e melhor amiga de Kate. 

E também há as duas mulheres mais importantes na vida de Castle; Sua mãe, Martha Rodgers e sua filha, Alexis Castle. Martha é uma figura, auto estima e super gente boa, porém, é o tipo de mãe capaz de traumatizar um filho (por isso que Rick é assim hahaha). Já Alexis é uma pessoa M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A, é impossível não se apaixonar por ela, tendo um enorme carisma, vivacidade e com uma atuação muito boa, podemos ver que ao longo da trama ela vai evoluindo e por muitas vezes conseguimos nos ver nela, nossa infância, adolescência e juventude, conseguimos lembrar como é difícil passar de uma fase para outra, mas com as dicas e conselhos das pessoas que amamos,isso se torna menos assustador e ao longo dos vários episódios, vemos como a nossa (sim, nossa, minha e sua) Alexis cresceu, como amadureceu e aprendeu, isso sem deixar de ser a mesma pessoa.  

Bom, antes de mais nada, devo falar que a assisti a série em 2 semanas, então, devem compreender que no fim, parecia um zumbi, não é mesmo? Em minha opinião, essa é uma série maravilhosa, com atores muitos bons, as vezes meio clichê, mas daquela forma que mesmo sendo uma coisa meio batida, ainda parece algo totalmente novo. A trama toda é envolta das resolução dos assassinatos, e de certa forma segue um script.

Como assim Tia Aylla?


Na primeira temporada, os episódios começavam com o assassinato acontecendo (eu quase me borrava toda. #MedrosaOn),  já na segunda, o inicio era com o Castle em sua casa, normalmente era algum bate papo entre ele, Alexis e Martha, algo bem cotidiano e que mostrasse uma interação pai/filho, filha/neta e avó/mãe, em seguida Castle recebia uma chamada (das divas das detetives, e quem disse Kate acertou) e você sabia que era um novo caso. Ao longo das 8 temporadas, você vai perceber alguns detalhes como esse, e você vai estar em tamanha sintonia com a série, que vai saber até a hora exata que realmente saberemos quem é o assassino. Algo muito legal de Castle, é que durante a investigação, havia uma chance de 99% dos detetives terem tido contado com o assassino enquanto investigava, e isso é muito divertido, porque você irá apostar em tal pessoa - e eu sempre errava - e descobrir quem não era ela.

Enquanto assistia, imaginei resenhar cada temporada, mas vamos combinar que seria trabalho demais, por isso preferi uma só resenha (infelizmente, você começa a esquecer detalhes que antes era super importante).

Ao longo das temporadas, o maior mistério (que começa na primeira e vai até a ultima) é sobre o assassinato da mãe de Kate, e muitos episódios gira em torno disso, algo perigoso e surpreendente (fiquei chocada ao saber de tudo). As duas primeiras temporadas para mim foi as melhores, na terceira e quarta eu senti que estava tudo muito batido já, parece que eu havia aprendido a formula e então aquilo deixou de ser tão interessante, mas então eu persisti e acabei amando a quinta temporada. A sexta, sétima e oitava temporadas também são muitos boas, são cheias de reviravoltas, mistérios (algo que tem muito nesta série) e personagens novos (#SuperAmo).

Algo que me entristeceu é que a Lanie Parish (Médica Legista) passa a não ter  participação  em muitos episódios, o motivo só eles sabem, mas isso é bem triste, pois mesmo não sendo a principal, ela se tornou querida <3. Outra situação, foi o final. Não, antes que vocês pensem que foi uma merda, posso dizer que não é isso, é que ao longo do tempo que você assisti algo, você cria expectativas, imagina o fim de mil maneiras, e o que aconteceu não foi bem o que eu imaginava. Se foi ruim? Não. Se estava ótimo? Não. Se podia ser melhor? Com certeza, mas eu consigo entender que naquele momento foi aquilo que eles puderam fazer, e fico feliz por ter ao menos ter tido um fim, e não terem simplesmente parado.

Bem, creio que é isso pessoal. O que tenho a dizer é: Assistam quem não assistiu e quem já assistiu converse comigo sobre, porque sério, estou muito triste de não ter uma alma para falar sobre a série.

Beijos, abraços e lágrimas (afinal, acabou se uma série maravilhosa).



3 comentários:

  1. Essa serie é muito boa. Com uma fórmula típica dos romances policiais, ela me lembra bastante Rizzoli & Isles, uma série que super recomendo se você curtiu Castle e que também foi finalizada, mas o caso não é esse no momento.

    A série vai muito bem, as primeiras temporadas são as melhores como você descreveu na sua crítica. Os casos passam a ficar batidos depois disso, mas o interessante é você acompanhar o desenvolvimento dos personagens em si. Eu acho legal ver o lado de Ryan como pai,ele se infiltrando em alguns episódios e eu adoro aquele lado do Esposito de quando ele era um atirador escroto. O episódio dele no trem como refém me deixou com os nervos à flor da pele.

    Essa série tem uma fechada incrível em cada temporada, sinceramente, o ar de mistério que se mantém é simplesmente sensacional e eu adoro.

    Você fez uma ótima resenha aqui e eu adorei. Parabéns pelo trabalho.

    ResponderExcluir
  2. Essa serie é muito boa. Com uma fórmula típica dos romances policiais, ela me lembra bastante Rizzoli & Isles, uma série que super recomendo se você curtiu Castle e que também foi finalizada, mas o caso não é esse no momento.

    A série vai muito bem, as primeiras temporadas são as melhores como você descreveu na sua crítica. Os casos passam a ficar batidos depois disso, mas o interessante é você acompanhar o desenvolvimento dos personagens em si. Eu acho legal ver o lado de Ryan como pai,ele se infiltrando em alguns episódios e eu adoro aquele lado do Esposito de quando ele era um atirador escroto. O episódio dele no trem como refém me deixou com os nervos à flor da pele.

    Essa série tem uma fechada incrível em cada temporada, sinceramente, o ar de mistério que se mantém é simplesmente sensacional e eu adoro.

    Você fez uma ótima resenha aqui e eu adorei. Parabéns pelo trabalho.

    ResponderExcluir
  3. Essa serie é muito boa. Com uma fórmula típica dos romances policiais, ela me lembra bastante Rizzoli & Isles, uma série que super recomendo se você curtiu Castle e que também foi finalizada, mas o caso não é esse no momento.

    A série vai muito bem, as primeiras temporadas são as melhores como você descreveu na sua crítica. Os casos passam a ficar batidos depois disso, mas o interessante é você acompanhar o desenvolvimento dos personagens em si. Eu acho legal ver o lado de Ryan como pai,ele se infiltrando em alguns episódios e eu adoro aquele lado do Esposito de quando ele era um atirador escroto. O episódio dele no trem como refém me deixou com os nervos à flor da pele.

    Essa série tem uma fechada incrível em cada temporada, sinceramente, o ar de mistério que se mantém é simplesmente sensacional e eu adoro.

    Você fez uma ótima resenha aqui e eu adorei. Parabéns pelo trabalho.

    ResponderExcluir